ONDE ESTAMOS

ENCONTRE A FERRI MAIS PRÓXIMA DE VOCÊ!

SEJA UM FRANQUEADO

CLique aqui

Por que empreender na crise?

Por que empreender na crise?

Talvez você tenha chegado até este artigo com uma tremenda dúvida sobre o título do nosso artigo. Empreender na crise? Isso não é exatamente o que a maioria das pessoas está fugindo nesse momento?

A resposta é positiva para as duas perguntas. Sim, nós vamos explicar hoje por que você deve buscar o empreendedorismo em momentos de crise. E sim: a maioria das pessoas não quer nem pensar em negócios quando a economia vai mal. E é justamente a hora ideal para buscar a diferenciação.

Por que vale a pena empreender na crise?

No Mercado Financeiro, uma das figuras mais importantes e populares é Warren Buffett. O megainvestidor norte-americano é responsável por uma das maiores fortunas do planeta e tem uma frase bem conhecida:

“Compre ao som de canhões e venda ao som de violinos”

A frase pode parecer bastante filosófica, mas tem um contexto muito evidente: ele sugere que o investidor compre quando o mercado está em pânico e venda quando a calmaria tomar conta do cenário econômico.

Perceba que o discurso vai na direção oposta ao que faz a grande massa de investidores: eles se desesperam na crise, vendendo seus papéis, enquanto Buffett aproveita para adquirir empresas excelentes com baixo custo.

Talvez você tenha entendido onde queremos chegar, mas a dica de Buffett também vale para o mundo dos negócios. O empreendedor de sucesso, assim como o bom investidor, é aquele que consegue enxergar oportunidades em meio ao caos. E, ao fazer isso, ele tem chances excelentes de obter retornos consistentes.

Como é possível empreender na crise?

Sabemos que o cenário atual é extremamente adverso para empreender. A maior parte dos pequenos negócios não se estruturou adequadamente para uma crise no curto prazo — e ainda menos para uma pandemia com isolamento social.

Não podemos ser ingênuos neste sentido. Após a reabertura econômica, teremos menos lojas em funcionamento nos shoppings e nas ruas. Muitas delas não resistirão aos efeitos da crise. E, neste ponto, podemos dividir os empreendedores em dois grupos principais:

  • No primeiro grupo, temos aqueles que não se preparam para a crise e tampouco encontraram oportunidades de sobrevivência. Fatalmente, eles terão muita dificuldade em manter seus negócios.
  • Do outro lado estão os empreendedores que souberam reagir ao momento. Eles não se desesperaram com a crise, buscaram oportunidades para reduzir custos e inovar o negócio. É bem provável que sigam fortes após a recessão.

Para o segundo grupo, há ainda benefícios adicionais de empreender na crise. Um deles é encontrar um mercado com menor concorrência. Isto é, há margem para expandir o market share e crescer ainda mais o próprio negócio. Outro, mais subjetivo, é a própria experiência: quem sobrevive a uma crise sai fortalecido e com aprendizados para gestão empresarial.

O que fazer para empreender na crise?

É verdade também que empreender na crise é daquela série de ações mais fáceis de falar do que fazer. Ainda assim, incentivamos que você, leitor deste texto, tente focar nas oportunidades. É difícil ser otimista quando as notícias são tão negativas e não há perspectiva de melhora, mas é necessário.

Se você começou a empreender pensando que o seu negócio teria crescimento constante, ainda mais no Brasil, um país historicamente instável para empresas e investidores, o ano de 2020 trouxe diversos aprendizados. No entanto, crises são cíclicas e sempre terminam em algum momento.

Portanto, para ajudá-lo a empreender na crise e diferenciar o seu negócio para colher bons frutos no futuro, preparamos algumas dicas especiais.

A inovação deve ser constante

Desde que a quarentena foi oficializada no Brasil, levando ao isolamento social, diversas empresas se viram obrigadas a inovar. O home office foi um caminho natural para manter os colabores ativos (e não demiti-los). A inovação digital, com vendas via e-commerce, foi outra alternativa válida. Restaurantes que apenas atendiam presencialmente aderiram ao delivery.

Veja que todas essas inovações foram realizadas em um cenário crítico, fruto de gestores que resolveram empreender na crise e manter seus negócios vivos. Passada essa turbulência, essas e outras inovações podem ser perfeitamente mantidas, gerando diferencial competitivo e, claro, potencializando receitas.

E esse é um exercício que deve ser realizado constantemente, sem precisar esperar por um cenário crítico. Com tanta tecnologia em desenvolvimento, buscar por diferenciais para o seu negócio passa a ser algo praticamente obrigatório para não perder espaço no mercado.

Esteja atento às mudanças estruturais

De tempos em tempos, a sociedade passa por mudanças estruturais. São rupturas definitivas com o estilo de vida que trazem impactos econômicos para todos os envolvidos. Você imaginava, por exemplo, que as locadoras desapareceriam com o crescimento dos serviços de streaming?

Hoje, parece um fenômeno natural. No entanto, enquanto elas existiam, não era algo em que se acreditava — ou então os donos de locadoras teriam se movimentado para evitar o pior.

Portanto, o empreendedor deve estar sempre de olho nas oportunidades que venham a surgir com mudanças estruturais. Ao identificar uma alteração substancial de comportamento da sociedade, você pode criar produtos e serviços personalizados, saindo na frente da concorrência.

Empreender é para sempre

Por fim, mas não menos importante, você deve ter uma visão orientada para o longo prazo para empreender na crise. Sendo assim, não pode ser uma crise que vá acabar com todos os projetos. Reforçamos: as crises são cíclicas e é preciso estar preparado para elas.

Ao abrir a sua loja, certamente não foi pensando em mantê-la por um ou dois anos e depois largar. Um bom empreendedor quer criar um negócio de sucesso e vê-lo crescer por anos, talvez até o final da própria vida.

Para esse objetivo, no entanto, é necessário planejamento e preparo. O velho jeito brasileiro de empreender por “tentativa e erro” funciona muito mal para qualquer evento que saia de uma normalidade. Você precisa trabalhar constantemente para traçar cenários (otimistas e pessimistas), aumentar a eficiência produtiva e reduzir custos.

Essas são algumas das medidas que podem ser utilizadas para empreender na crise. O foco no longo prazo e uma cabeça sempre aberta para melhorias são duas das maiores aliadas na hora de trabalhar a gestão do seu negócio.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Pesquisar

Usamos cookies para garantir que oferecemos a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que está satisfeito com ele.